segunda-feira, 14 de maio de 2012

MPF DENUNCIA DOIS PMS POR HOMICÍDIO QUALIFICADO EM CAMPO GRANDE




 Policiais em frente ao local do crime, minutos depois: Foto: Romário Dantas
O procurador da república Fernando Rocha de Andrade, de Mossoró, mas que responde também pela Comarca de Assu, denunciou os policiais militares Felipe Eduardo Pereira e Antônio Marcos de Araújo, por crime de homicídio qualificado.

A vítima dos policiais Felipe e Marcos foi o agente penitenciário federal Iverildo Antônio da Silva. O assassinato, classificado pelo representante do Ministério Público Federal como demasiadamente fútil, aconteceu no dia 23 de julho de 2011, em Campo Grande.

Iverildo estava bebendo com amigos num barraco no centro da cidade, com o som do carro ligado. Populares pediram que a PM fosse lá ao local pedir para baixar o som. Ao chegar ao local, Marcos e Felipe pediram para baixar o som e Iverildo mostrou sua identificação.

Os dois PMs recuaram e logo em seguida retornaram já de arma em punho. Depois de uma rápida discussão, abriram fogo. Iverildo foi morto com 11 tiros, sendo que sete balas ficaram alojadas em seu corpo e outras quatro transfixaram. 

Os PMs contaram que Iverildo teria atirado neles primeiro, só que a perícia constatou que não. Na verdade, Iverildo não teria disparado um só tiro e teria sido morto com tiros a curta e média distância nas costas. O caso não foi investigado pela Policia Civil e sim pela PF.

E a PF se cercou de todos os cuidados no trabalho de investigação para que não restassem dúvidas quanto à materialidade do caso. Fez reprodução simulada. A denúncia foi protocolada na Justiça Federal de Assu no dia 26 de abril e os Marcos e Felipe deverão ir a júri popular. 

Iverildo teria sido executado por ter mostrado sua carteira de identificação profissional e os PMs teriam entendido como um afronta.
Fonte: Retrato do Oeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário