quarta-feira, 16 de maio de 2012

Mulher afirma que impediu marido de matar criança em Nova Parnamirim




A esposa do jardineiro João Batista Caetano Alves, identificada como Marlene Eugênia que foi presa junto com o marido que confessou a morte de mãe e filha em Nova Parnamirim, disse que não permitiu a morte da criança de 10 anos.

“Ele disse: vou matar essa peste. A menina implorou para que não morresse. Ela se agarrou nas minhas pernas e disse que já tinha perdido a mãe e a avó e que ele não tirasse a vida dela. Eu tive que convencê-lo a não matá-la”. Marlene afirma que o marido é violento e já a agrediu diversas vezes. “Ele fazia isso mais quando chegava bêbado em casa”.

Marlene Eugênia também revelou que desconfiava de um provável relacionamento entre ele e Olga Cruz, vítima que sofrera mais golpes de faca no dia do crime. “Acho que eles tinham um caso”. Ela confessa ainda que apanhava do marido, principalmente quando esse bebia

Da redação do DIARIODENATAL.COM.BR, com informações do repórter Paulo de Sousa

Nenhum comentário:

Postar um comentário