domingo, 18 de novembro de 2012

Homem violenta criança de cinco anos e é denunciado pelos próprios óculos



Acusado esqueceu óculos no local do crime e terminou preso pela PM


Foto: óculos do acusado foram apreendidos pela polícia

Uma criança de apenas 5 anos foi violentada sexualmente na manhã deste sábado, 17, em Boa Ventura. O crime ocorreu no momento em que a menor brincava com outras meninas nas proximidades de sua casa, que fica no conjunto Cláudio Arruda.

O homem atraiu a criança para uma área deserta, ao fundo da residência vizinha a da vítima, e praticou o abuso. Momentos depois, a menina chegou em casa chorando e entrou para debaixo da cama. A princípio, a mãe imaginou que fosse algo sem importância, mas, quando foi banhá-la, percebeu manchas de sangue em suas partes íntimas e caiu em desespero.

Perguntada sobre o que tinha ocorrido, a menina disse que um homem havia botado a mão em seu órgão genital e deu as características físicas do indivíduo, o que motivou a mãe a acionar imediatamente a polícia. Policiais militares foram até o local e encontraram os óculos do autor do crime. As informações da vítima e de pessoas que viram o acusado nas imediações ajudaram a PM a chegar à casa do, até então, suspeito, mas, quando o dono da residência reconheceu os óculos como sendo do filho, a polícia não teve mais dúvida e iniciou as diligências para capturar o criminoso.

Fábio Gonçalo da Silva, de 29 anos, foi preso pelos policiais minutos depois, momento em que dezenas de pessoas estavam à sua procura para linchá-lo. O homem foi conduzido à delegacia de Itaporanga, onde está sendo procedido o flagrante pelo delegado Joáis Marques, enquanto a criança foi encaminhada a Patos para exame sexológico.

Fábio Gonçalo reside na Rua Pedro Caboclo, que fica próxima ao local do crime, é solteiro e tem uma deficiência física em uma das pernas, mas se locomove sem grandes dificuldades. Autuado por estupro de vulnerável, ele foi conduzido para a cadeia de Itaporanga, mas nega o crime com o seguinte argumento: disse que passou pelo local em direção à casa de um amigo e tirou os óculos para fazer necessidades fisiológicas, e os esqueceu. O delegado não acreditou nessa conversa.

Apesar de ninguém ter presenciado o fato, o depoimento de pessoas afirmando que viram o acusado na área e, principalmente, os óculos deixados por ele no local provam suficientemente a autoria do delito, conforme dr. Joáis, que aguarda o resultado do exame sexológico para anexá-lo ao inquérito.

Folha do Vale

Nenhum comentário:

Postar um comentário