quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Policial Civil é acusado de estupro na Delegacia de Barra de Maxaranguape


Por Tribuna do Norte
Um policial civil, chefe de investigações na Delegacia de Barra de Maxaranguape, foi acusado de estupro por uma mulher de 26 anos que preferiu não se identificar. Segundo o relato da mulher à Corregedoria da Polícia Civil, a jovem acompanhou o cunhado, que é menor de idade, até a delegacia para a realização de um procedimento.
Após os trâmites normais de realização de boletim de ocorrência, o chefe de investigações, que terá o seu nome preservado até que se confirme o crime, supostamente trancou a mulher numa sala e a obrigou a fazer sexo oral nele.
“Ele me agarrou pela cabeça com força e me obrigou a fazer uma ‘boquinha’ nele”, contou. Resistindo, a mulher foi forçada e realizou o ato por medo de represálias. O fato aconteceu na última sexta-feira (14), mas só agora a jovem procurou a imprensa para divulgar o escândalo.
A mulher de 26 anos é casada, tem dois filhos e está grávida do terceiro filho, com dois meses de gestação. “Me sinto suja, imunda depois disso. Não consigo sequer olhar para o rosto do meu marido nem dos meus filhos”, disse, chorando.
O delegado geral de Polícia, Fábio Rogério, preferiu não se pronunciar sobre o caso até que as investigações sejam finalizadas, mas garantiu que o chefe de investigações será transferido imediatamente para outra delegacia.
Segundo informações de fontes, o agente da Polícia Civil já tinha sido transferido da 7ª Delegacia de Polícia, no bairro das Quintas, por suspeita de ter praticado o mesmo delito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário