sexta-feira, 22 de março de 2013

PM aperta o cerco contra trio suspeito da morte de crediarista e foto de Mossoroense é revelada


Fonte e foto: Jair Sampaio

Neto Mossoró
Horas e mais horas de intensos trabalhos voltados às buscas para localizar o trio que ceifou a vida do crediarista Jucurutuense Iran Bezerra de Araújo, morto num assalta à mão armada na tarde de ontem em Caicó, apontam fortes indícios em desfavor de um morador do bairro João Paulo II, apelidado de Neto Mossoró, ou Neto da Doze, este último apelido ofertado a ele dar-se pelo fato de o mesmo praticar vários assaltos em Caicó empunhando uma Espingarda Cal. 12, tudo isso enquanto o mesmo era menor de idade.

O comandante do 6º BPM, Maj. Costa, disse que Neto Mossoró é um velho cliente da PM, e que sua tropa já o prendeu em diversas ocasiões quando menor, e que por força de lei, ao atingir maioridade, o mesmo foi posto em liberdade, contudo já praticou outras desordens a poucos dias, mas como sua ficha foi extinta, a ele fora atribuída pequenas penas, por isso o mesmo está em liberdade. "É uma questão de honra para a Polícia Militar do RN prendê-lo, vamos colocá-lo mais uma vez na prisão, caso provado sua participação, é só uma questão de tempo", disse o major. relembre operação que prendeu Neto, ainda menor.

Perfil do investigado (Neto Mossoró): 

Mossoroense, veio para Caicó unica e exclusivamente para sobreviver do crime, puxado por comparsas seridoenses que estão no Pereirão, fala mansa, distinto, tenta passar uma imagem falsa da sua pessoa, é sempre cordial com a polícia, dedo duro - X9 (diminuí ou estingue a pena) em troca de informações sigilosas dos comparsas), porém, uma ressalva... quando na prática de uma ação criminosa costuma humilhar suas vítimas com chutes, coronhadas e as intimida com gritos imperativos, dando demonstração que a desobediência a ele pode ser fatal.

Família do investigado (Neto Mossoró):

Seu padastro, Antônio Neto Rodrigues Diniz (Toinho), 47 anos, natural de Umarizal, foi preso pela Polícia Militar de Caicó no dia 05 de março de 2012, na ocasião o mesmo era procurado pela justiça do RN por responder criminalmente no art. 157 (assalto), nesse caso, a operação das Polícias Militar e Civil se deu pelo fato de Neto Mossoró está, na época, sendo apontado como autor de vários assaltos à mão-armada na zona oeste de Caicó, sendo recuperada uma quantia superior a 1500 reais e muitos objetos roubados (foi por intermédio dessa operação que Neto Mossoró ficou interno no Ceduc até sua maioridade).

Lixos da justiça invadem Caicó:

Muitos são os forasteiros, sub judices, que invadem a cidade de Caicó (por força judicial) para pagarem seus crimes, e ao cumprirem parte dessas penas, são jogados na rua com a obrigatoriedade de retornarem à noite para casa de Albergue, da qual Caicó não dispõe, o que obrigatoriamente deixa seus hóspedes órfãos de moradia à noite, fazendo aumentar os índices de violência na cidade.
CONTINUAR LENDO »

Um comentário:

  1. Esse ai podia ser jogado no meio do mar e depois os outros que fossem sendo pegos.

    ResponderExcluir