segunda-feira, 8 de abril de 2013

JOVEM NÃO QUERIA MAIS SE RELACIONAR COM PM', DIZ DELEGADO DE PATU, RN

Soldado Julimar Ferreira tinha 25 anos
de corporação (Foto: Divulgação/PMRN)
 
 
 
 G1
 
O delegado de Patu, Sandro Régis, confirmou que a principal linha de investigação para o homicídio praticado pelo policial militar Julimar Alves Ferreira, de 45 anos, contra um adolescente em Patu, na região Oeste do Rio Grande do Norte, é a de que os dois mantinham um relacionamento amoroso. Segundo o delegado, "o adolescente não queria se relacionar com PM". O crime ocorreu na tarde deste domingo (7). O soldado, com 25 anos de corporação, se suicidou após ter matado o garoto a tiros.
Ainda de acordo com Sandro Regis, dois outros adolescentes serão ouvidos pela Polícia Civil da cidade. “Eles estavam com o menino na hora do crime. Os dois já foram identificados e vão à delegacia amanhã (terça-feira, 9)  junto com os pais para contribuir com as investigações”, afirmou o delegado.
A arma utilizada pelo soldado para matar o adolescente e depois cometer o suicídio, “supostamente um revólver”, sumiu do local do crime, acrescentou o delegado. “Esse é um fator que a gente vai ter que apurar. Mesmo com o policial tendo se suicidado, ninguém diz nada. Isso dificulta as investigações. Mas, aos poucos, as informações vão aparecendo”, ressaltou Regis.
Soldado seria expulso
A capitã Miriam de Freitas Suassuna, comandante do Comando de Polícia de Patu, onde o soldado Julimar era lotado, disse ao G1 que o policial seria expulso da corporação. Ele já respondia por crimes como assalto. “O processo dele já estava quase concluído e ele já tinha conhecimento de que seria expulso da PM”, confirmou a capitã.
Quanto à suposta prática de pedofilia, a comandante relatou que nunca houve acusação formal contra o policial Julimar. “O pessoal comentava isso, mas até hoje ninguém acusou havia denunciado o soldado ao comando de Patu”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário