domingo, 5 de abril de 2015

Itep identifica mais três dos sete mortos durante ação em Currais Novos

 
O Instituto Técnico-Científico da Polícia do Rio Grande do Norte (Itep/RN) confirmou a identidade de três indivíduos mortos durante a ‘Operação Hefesto’, deflagrada no último dia 29 de março, próximo a cidade de Currais Novos, na região do Seridó Potiguar. São eles: Manoel Félix de Lima Neto, Joerberson Silva Bandeira e um adolescente de 15 anos. Com a identificação, todos os sete suspeitos de integrarem uma quadrilha que promovia assaltos a bancos no Estado, vitimados durante a ação policial, tiveram seus nomes anexados no inquérito. A partir de agora, a Polícia Civil do RN segue a investigação com o objetivo de prender pelo menos outros 11 criminosos ligadas ao bando.
Na última segunda-feira (30), o Itep já tinha identificado João Batista Nunes da Silva e Isaías Leandro Lopes, conhecido como “Gordo Isaías”. O primeiro respondia judicialmente por latrocínio – matar para roubar – e outros crimes nas Comarcas de Alexandria, Ceará-Mirim, Natal, Parnamirim, Assu e Ipanguaçu. Já o segundo estava cumprindo pena de regime semiaberto no Presídio Estadual de Parnamirim (PEP). No dia seguinte, terça-feira (21), outras duas identidades foram confirmadas pela equipe técnica do Itep: Gilianderson Henrique Fernandes Vasco e Leonardo Arthur Pinheiro. A reportagem conversou com a titular da Delegacia de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), Sheila Almeida, durante a manhã de ontem. Ela confirmou a identificação de todos os suspeitos, mas, em virtude da Semana Santa, o caso só terá prosseguimento na próxima segunda-feira (6). “Eles foram identificados, mas, neste momento, não tenho como passar nada sobre o assunto. Após o feriado daremos prosseguimento ao caso, em busca dos outros suspeitos”, afirmou.
No último dia 29 de março, o desfecho da ‘Operação Hefesto’, desencadeada há dois meses, contou com a participação de 16 policiais civis e quatro homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do RN. Na ocasião, além das sete mortes, houve a prisão do taxista João Maria da Rocha, conhecido como “Catatau”. Em depoimento, ele alegou ter sido sequestrado pelo grupo criminosos para fazer o transporte da quadrilha. De acordo com a Deicor, também foram recolhidos quatro revólveres, uma pistola e uma espingarda calibre 12 e munições, além de 12 aparelhos de celulares, dinamite a granel e outros insumos utilizados para a elaboração de explosivos.
Horas depois, na zona Norte da capital potiguar, Kleiton Carrol Gomes de Albuquerque, o “Macarrão”, também acabou detido. Conforme as investigações policiais, o suspeito seria um dos líderes da quadrilha e responsável por guardar o grosso do armamento, dinamites e equipamentos usados pelos criminosos na explosão de caixas eletrônicos. Com ele, os policiais da Deicor encontraram quatro quilos de entorpecentes. Agora, a Polícia Civil do RN espera localizar os outros integrantes do bando, que, estima-se contar com pelo menos 20 bandidos.

Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário